Skip to content


Wagner faltou com respeito a mim, a secretário e a Feira de Santana, revolta-se Colbert

Em entrevista ao radialista Dilson Barbosa, de Feira de Santana, o deputado federal Colbert Martins (PMDB) confirmou ter travado um diálogo ríspido com o governador Jaques Wagner (PT) por causa da demissão do secretário de Ciência e Tecnologia, Ildes Ferreira, provocada pelo desligamento do partido do governo estadual. Na entrevista, o deputado antecipou que vai para a oposição sem ser, no entanto, “caldatário” do DEM. Colbert ressaltou também a fidelidade que manteve com relação ao governador, relembrando um episódio na Câmara em que foi o único parlamentar que defendeu o governo, do qual sai agora, de acordo com ele, “sem mágoas”.

A conversa com o governador ocorreu na sexta-feira. Colbert disse que, pela manhã, havia tentado entrar em contato com Wagner para discutir a questão dos cargos indicados por ele, mas não teve sucesso. No mesmo dia, foi ao gabinete de Ildes Ferreira acertar o afastamento do secretário, indicado por ele quando estava ainda no PPS. O peemedebista contou que, após diversas tentativas, conseguiu falar com o governador, a quem pediu uma audiência. Para sua surpresa, o governador foi “ríspido”, dizendo que para tratar do assunto não precisava de audiência, apenas seria necessário protocolar o pedido de demissão do secretário.

Colbert disse que, depois da resposta, desligou o telefone. “Não admito ser tratado desta forma por ninguém. Sou deputado eleito como ele é governador eleito e ajudei a elegê-lo, mas não admito ser tratado desta forma e desta maneira reagi, entendendo que não caberia neste momento uma reação daquele tipo. Fui e protocolei (a demissão do secretário)”. Ele criticou ainda o fato de a secretaria de Ciência e Tecnologia ter sido negociada diversas vezes pelo governo estadual. O deputado afirmou que considerava a situação um desrespeito do governador a ele, ao ex-secretário e a Feira de Santana.

O peemedebista encerrou a entrevista sem poupar Wagner e o secretário Rui Costa (Relações Institucionais), considerando-os responsáveis pelo processo de fritura de Ildes Ferreira enquanto ele esteve à frente da pasta estadual. “Se o governador tem o respeito por Feira de Santana como ele diz que tem, Ildes não teria ido para a frigideira nos últimos seis meses, como foi, de forma desrespeitosa comigo e com o próprio secretário. Ele foi um secretário forte, que teve que lutar de duas formas: primeiro para dirigir a secretaria e a segunda para se manter no cargo pelas posições tíbias, principalmente, reitero aí, através do secretário Rui Costa a mando do governador”.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Posted in Política Local.