Skip to content


Receita tem que explicar mercado de sigilos

Ontem, fiz diversos questionamentos em meu twitter sobre as notícias das 140 quebras de sigilo de contribuintes da República. O crime é gravíssimo, merece uma apuração profunda e uma correção nos rumos do órgão. O sistema de um lugar tão importante não pode estar suscetível a este tipo de acontecimento. Os jornais hoje repercutem as falas do governo e da oposição e ninguém levou em consideração, exceto o SBT Brasil, do que disseram as funcionárias.

Segundo elas, qualquer servidor da Receita pode ter pegado estas informações e as vendido para o mercadão em São Paulo. Mais, em entrevista ao Terra, o ex-secretário da Receita, Everardo Maciel, afirmou que há uma crescente politização no órgão, iniciada na gestão de Lina Vieira, a mesma que acusou, sem conseguir provar, a então ministra, e hoje candidata, Dilma Rousseff (PT), de ter pedido a ela celeridade na investigação sobre o filho do senador José Sarney, Fernando Sarney. Ou seja, qualquer funcionário, politicamente induzido por um lado ou por outro, pode ter vazado os dados no “Mercadão de Sigilos”.

O Governo Federal tem que responder rapidamente por esta violação de um dos bens mais sagrados dos cidadãos – os seus dados. E quando falo do Governo Federal, me dirijo ao governo Lula, mas não acho que o problema tenha começado agora. Infelizmente, reportagens com dados de pessoas sendo vendidos, sem o devido combate dos órgãos competentes ocupam os telejornais – eu me lembro de ter visto várias reportagens no Fantástico sobre isto – há muito tempo.

De outro lado, hoje, o editorial da Folha de São Paulo aponta razões que levam o jornal a crer que o PT seja responsável pela quebra do sigilo da filha do candidato tucano José Serra, Verônica Serra. Rememora o caso dos aloprados, a quebra do sigilo do caseiro Francenildo da Costa e afirma que a base do PT é o ABC paulista, região onde ficam as duas cidades onde ocorreram as quebras – Mauá e Santo André. Este último argumento, dos três, é o mais fraco.

Acho que a Folha acerta em levantar estas suspeitas, mas erra ao suspeitar apenas de um lado. Afinal de contas, se é verdade que o PT se envolveu nos casos dos aloprados e do sigilo do caseiro, é também verdade que o PSDB tem suas ligações com realização de dossiês e uso de sigilos.

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), por exemplo, vazou dados sigilosos de diretores da Petrobras durante uma CPI. Em 2002, a Polícia Federal foi para cima da então candidata do DEM, Roseana Sarney, à Presidência, no caso Lunus. Na época, não havia um só democrata que não achasse que o responsável havia sido o então pré-candidato do PSDB, José Serra. Tanto foi assim que o partido apoiou, naquele ano, a candidatura de Ciro Gomes, então filiado ao PPS. Agora, o colunista do Globo, Merval Pereira, diz que um famoso sindicalista, em entrevista à Veja (sempre ela), disse que o PT teria influenciado a PF, durante o governo FHC, para culpar Serra. Haja exercício mental.

Prosseguindo: os exemplos não param aí. Recentemente em um perfil sobre o candidato José Serra, o jornal O Estado de S. Paulo relembrou um episódio em que Tasso Jereissati (PSDB-CE) se achou queimado por Serra – também em 2002 – e saiu xingando o paulista e Aloysio Nunes Ferreira, um dos seus principais aliados no partido. Jereissati se manteve neutro, na disputa presidencia, em favor de Ciro por causa disto. Alguém pode perguntar qual seria o interesse do PSDB em quebrar o sigilo da filha de Serra e eu relembro que, em setembro do ano passado, quando o sigilo foi quebrado o partido estava em uma luta fratricida entre Aécio e Serra para ver quem seria o candidato à Presidência.

Por fim, acho suspeito o fato do candidato a vice de Serra, Índio da Costa (DEM), dizer em uma semana que o tucano tinha uma carta na manga e, na semana seguinte, pipocar um escândalo como esse. Pode ser coincidência, mas pode não ser. Vai saber. Como eu não tenho compromisso nem com um lado, nem com o outro, aponto que os dois partidos teriam razões para politizar o fato. E aproveito para criticar alguns jornalistas que gostam de se beneficiar de vazamentos de informações quando acham interessante e não denunciam como fazem com este episódio de agora. Tem gente que prefere sempre suspeitar de um lado só, eu prefiro suspeitar, criticar e elogiar os dois.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Posted in Política Nacional.

Tagged with , , , , , , .