Skip to content


Os vices e os seus problemas

Duas características, para além do fato de serem deputados, unem os dois principais candidatos a vice-presidente: ambos têm arestas a aparar e encontram na aprovação do projeto ficha limpa a maior visibilidade midiática dos seus atuais mandatos. É bom a gente ficar na torcida para quem vier a ganhar a eleição não ter nenhum problema, fazendo a ressalva que todos são inocentes até que se prove ao contrário, mas informação nunca é demais. Em uma pesquisa rápida na internet, encontrei fatos desabonadores dos dois lados. Seguem abaixo:

Temer responde a inquérito no STF sobre suposto crime ambiental (foto: O Globo)

O candidato a vice da presidenciável petista, Dilma Rousseff, Michel Temer (PMDB-SP), responde a inquérito no STF por suposto crime ambiental e fraude de documentos para ampliar a extensão de uma propriedade sua em Goiás. Temer teria registrado o valor da propriedade por R$ 10 mil na justiça eleitoral, mas a transação teria sido registrada em cartório com o valor de R$ 339, 1 mil. O peemedebista, no entanto, afirma ter doado a área à prefeitura de Alto Paraíso.

O nome de Temer apareceu ainda em dois casos mais recentes. Ele foi acusado de ter usado a cota de passagens aéreas para familiares e seu nome teria aparecido uma uma lista da construtora Camargo Corrêa sobre repasses de Caixa 2 a políticos. Temer negou envolvimento em qualquer irregularidade e a empreiteira afirmou desconhecer a existência do documento.

Índio da Costa foi acusado por CPI de ter favorecido empresa fornecedora da merenda escolar (foto: Democratas/ RJ)

O candidato a vice do candidato tucano, apesar da pouca idade, e ser deputado de primeiro mandato, também teve seu nome envolvido em acusações de atos ilícitos. Quando era secretário municipal de Administração no governo César Maia (DEM), o deputado Índio da Costa (DEM-RJ) foi um dos alvos da chamada CPI da Merenda. Desde que foi indicado para o cargo, o democrata está sob chumbo grosso da sua ex-colega, a vereadora do PSDB Andrea Gouvêa.

Gouvêa foi relatora da CPI e acusa Índio da Costa de ter favorecido a empresa Milano, escolhida para fornecer a merenda na capital fluminense.  A licitação, de acordo com a tucana, foi realizada no mesmo dia e a Milano teria cobrado preços mais caros para o mesmo produto, só que destinado para áreas diferentes da cidade, onde não havia concorrência. A vereadora questiona como a empresa ficou sabendo os locais onde não havia concorrente. A CPI concluiu que Índio deveria cancelar a licitação, mas o então secretário não cumpriu.

Houve ainda, segundo a tucana, queixa de funcionários das escolas aos alimentos fornecidos pela Milano. Gouvêa afirmou, em entrevista ao R7, que Serra escolheu um vice “ficha suja”. Em outra entrevista, a tucana afirmou que vai pedir licença do cargo de vereadora e viajar nas eleições. Isto tudo para não votar na chapa Serra-Índio. Em matéria de vices problemáticos, as duas principais candidaturas estão empatadas.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Posted in Política Nacional.

Tagged with , , , , , , , , .